sexta-feira, 8 de maio de 2009

Vagões para imigrantes


"Vagões só de milaneses". Não, mais restrito ainda. "Vagões só para os imigrantes extracomunitários", diz outra voz. Retorno do Führer? Novo apartheid? Ainda não.

Esta foi a proposta lançada ontem, aos gritos histéricos em plena praça do Teatro Scala, no centro de Milão, pelo deputado Matteo Salvini, representante da Lega Nord, o polêmico partido secessionista e xenófoba, cuja batalha principal no governo é a luta contra a imigração.

Ele incitava a multidão e passantes a aderirem à proposta pela "segurança" dos cidadãos, alegando que as poltronas de metrô, ônibus e trans devam ser reservadas aos italianos. Na sua opinião, o direito de sentar-se dos italianos e milaneses no transporte público é tolhido por imigrantes (leia-se os não-europeus do Terceiro Mundo), sem porém esclarecer o que se entende por "segurança" neste contexto.

Não precisamos de outra Rosa Parks na História, a negra norte-americana que recusou-se a levantar da poltrona permitda apenas aos brancos, nos tempos mais vergonhosos da segregação racial.

2 comentários:

hissahe disse...

Vai ser dificil diferenciar o imigrante do turista que nao liga pra grife...
Se e que faz alguma diferenca.
Pobres coitados.

LuMa disse...

Hissahe: Para esse deputado populista, ser negro ou ser muçulmano é uma culpa, entende? (A menos que seja um petroleiro). Recentemente, queria impor multas àqueles que comem lanche caminhando na rua. O alvo dele eram lanchonetes "take away" de kebabs(!!!). Desta vez, ele foi criticado a pauladas não apenas pela oposição, mas até pelos membros do próprio partido e outros nacionalistas agregados, e ele teve que voltar atrás. O que há de bom aquí é que imediatamente as pessoas se manifestam na rua - ,contra ou a favor. A favor das kebaberias, vários grupos e jovens se manifestaram em protesto contra a Lega Nord uns 10 dias atrás, meno male.