sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

A velha Telefunken



A velha Telefunken demorava a esquentar as válvulas, mas quando abria a janela para o mundo em preto e branco através da sua tela arredondada, nossos olhos brilhavam até mesmo nos comerciais. A impaciência não entrava nas nossas equações de tempo. Dos psicodélicos pernilongos da DDDrin a Ovomaltine; dos cigarros Peter Stuyvesant; desodorante Mistral e pãezinhos Seven Boys, tudo era apenas extensão do programa que aguardávamos ansiosos.

Comigo tudo começou com recordações nebulosas de National Kid, algo de Thunderbirds, Bat Masterson e os video-clipões dos Monkeys, uma espécie de clones dos Beach Boys, de cuja música "Daydream Believer "vai ecoar na minha memória até o dia do meu funeral.

Depois, vieram as séries em pacote semanal completo. Túnel do Tempo,Viagem ao Fundo do Mar, Perdidos no Espaço, Daniel Boone e a minha primeira paixão platônica, o belo John Boy dos Waltons - a família-modelo-moral-protestante-norte-americana - por quem cheguei a fantasiar coisas inenarráveis antes mesmo que os meus hormônios prematuros se manifestassem.

Belas lembranças que emergem nesta sexta-feira chuvosa, por conta de recomendação de uma amiga pela leitura do colunista Marcelo Coelho, da Folha, com estes lançamentos de DVDs nostálgicos .

E agora desligo a Telefunken, porque preciso trabalhar. Contudo, o pontinho branco que restará na tela nunca vai se apagar na minha memória.

7 comentários:

Punksauro Nei disse...

Colorado RQ.
Passei a vida na duvida sobre o RQ.

Tinha uma Philco com bombril na antena. Era o maximo porque tinha duas antenas.

Mas A Montanha Walton happy happy durante a depressao eh covardia.

Boa noite, Marianne.

Anônimo disse...

oi Lu tens razão que saudades desta inocência que tinhamos,me lembro de Ler a revista de telenovelas,trancada no banheiro, que era fora de casa sabe aquelas casinhas,pois é (rsrsr) escondida pois minha mãe não permitia ler, televisão fui ver só quando mudei de Pirenopolis para Anapólis, fiquei encantada,fazia tudo correndo pra ver na vizinha pois ainda não tinhamos a nossa,era uma chaidira mesmo assim era meu sonho de consumo: aqui em um canal acho tcm, que ta passando todos este filmes e seriados, imagina se não assisto. beijos até.(Lu vou guardar um fuba do que mandei para Marisa, qdo. vc vier me avise dou um jeito de chegar em suas mãos, e tem pequí tb la de goias ta.Diu) guardado

Anônimo disse...

hahahahaha só vç mesmo Lú, para fazer a gente voltar no passado em segundos!!!!Pura nostalgia!!!!Adorava o Vila Sésamo, Perdidos no Espaço e Terra dos Gigantes.Sabe Lú quando penso em nossa infância, puberdade e adolêscencia,me vejo na São João, vejo minha Mãe novinha, linda!!A Lojinha da Batian e ela falando que a minha casa não era Penson, o Jorge com cara de Diabinho, D. Júlia, a gente andando atrás do Sr. Murilo para catar as bituconas que ele jogava fora.Lembra quando suas irmãs viajaram e a gente subiu no telhado da sua casa e ficamos lá em cima fumando as bitucas e tomando água fazendo de conta que era uma bebida qualquer hahahaha a gente não valia nada!!!Tbém vou levar tudo isto até o fim!!!Saudades!!!!!!bjusssss
Reginona

Anônimo disse...

E Essa? Acho que era assim...

Urashima-taro , um pobre pescador salvou uma tartaruga,
E ela como premio ao Brasil o levou..
No reino encantado ele se apaixonou e por li ficou..

Passaram muitos anos e de repente a saudade apertou.
Uma arca misteriosa de presente ele ganhou.

Ao abrir ó quanta alegria, inundou seu coracão
Encontrou uma passagem da Varig,
E voltou feliz para o Japão.



Da velha amiga
Anna

LuMa disse...

Nei:
Esse RQ não será "Raigh Quality"? Boa noite, Jim Bobby.

Diu:
Aquele comercial psicodélico de "a pulguinha dançando iê,iê,iê, o pernilongo mordendo meu nenê..." era altamente eficiente porque ainda lembro daquelas cores ofuscantes,rs. Diu, pelamor, não faça isso comigo que eu choro. Não gaste $ por mim, por favor. Nada estaria à altura da sua bondade caso eu quisesse retribuir essa gentileza sua...

Regina:
Pelamor, e vc conta isso publicamente!!!

Anna:
Tadinho do Urashimataro, não previu a concordata. Não sei se vc conhece, mas enqto assistia a TV, eu chupava um sorvete de carrinho que eu achava um "must", "in" por ter nome sofisticado, o sabor "creme holandês". Achava que vinha da Holanda. Só depois de adulta descobri que se fazia com groselha e leite,rs

Punksauro Nei disse...

O Laerte me mandou uma fita ha alguns anos com propagandas dos anos 60.

Tinha um xampu seco que era um talco pra porca da dona de casa ocupadissima usar quando o marido chegar e a convida-la - de supetao- para jantar fora.

Yeah

Rackel F. F. Tambara disse...

LuMa,
O Boa noite dos Waltons é impossível de apagar da memória. A época romântica dá saudades, sim e nos trás à retina o quinhão de felicidade que nos coube. Obrigada por revirar lembranças.
Abraço fraterno.
Rackel